População e Demografia - Valores e Opinião Pública

A Identidade Cultural Europeia

Nº 40 | novembro 2013

Vasco Graça Moura

* 10% desconto incluído. Portes de envio grátis para Portugal Continental e Ilhas.
Sobre
Ver

Sinopse

A história da Europa não é linear e também não o é a sua identidade possível. Entre contradições e conflitos, dúvidas e colapsos, inquietações e incertezas, realizações e descobertas, uma certa necessidade de transcendente que é sentida pelas sociedades tem evoluído em duas direcções: por um lado, um aumento do laicismo, sobretudo à medida que a ciência e a técnica vão proporcionando um mais completo conhecimento do Universo e do mundo, e portanto diminuindo o papel das explicações que remetiam muitos fenómenos considerados inexplicáveis para o foro do divino, e, por outro lado, na proporção do aumento dos individualismos e dos egoísmos colectivos ou individuais.

Autoria

Coordenação e autoria

  • Vasco Graça Moura
    (Porto, 1942) foi advogado, secretário de Estado nos IV e VI Governos Provisórios, director da RTP1, administrador da INCM, comissário-geral para as comemorações dos Descobrimentos e comissário de Portugal para a Expo'92 (Sevilha), director da Gulbenkian e deputado ao Parlamento Europeu. É presidente da Fundação CCB. Poeta, ficcionista, ensaísta e tradutor. Recebeu, entre outros, o Prémio Pessoa, os Grandes Prémios de Poesia e de Romance da APE, a Coroa de Ouro do Festival de Poesia de Struga, o Prix Max Jacob Étranger, o Premio Nazionale per la Traduzione. Traduziu Dante, Petrarca, Benn, Rilke, Walter Benjamin, Shakespeare, Heaney, Lorca, Villon, Ronsard, Racine, Corneille, Molière, Voltaire e Rostand.

Partilhar