Justiça e Direito

Os Atrasos da Justiça

Nº 17 | julho 2011

Conceição Gomes

* 10% desconto incluído. Portes de envio grátis para Portugal Continental e Ilhas.
Sobre
Ver

Sinopse

Os cidadãos e as empresas precisam de justiça no tempo em que ela lhes seja útil e não no tempo em que ela pode chegar. Com frequência, quando chega já pouca falta faz. Porque se atrasa a justiça portuguesa? Este livro ajuda o leitor a compreender o funcionamento dos tribunais, as dinâmicas das regras processuais, quem são e qual é a acção dos seus principais intervenientes, fornecendo elementos que ajudem a encontrar a resposta para aquela pergunta. As reformas da justiça não podem continuar a ter impacto tão reduzido na prática dos tribunais portugueses. É preciso lutar contra o desperdício de reformas atrás de reformas. A transformação da justiça depende muito de uma cidadania activa exigente por qualidade e eficiência. Uma edição FFMS e Relógio d'Água. Edição de 2011

Autoria

Coordenação e autoria

  • Conceição Gomes
    Conceição Gomes é Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e Coordenadora Executiva do Observatório Permanente da Justiça Portuguesa. Tem coordenado e participado em estudos nas áreas das políticas e reformas do direito, da justiça e dos tribunais e da cooperação judiciária. Além de Portugal, desenvolveu projectos de investigação em Macau, Moçambique, Angola e no espaço da União Europeia, de que são exemplos os estudos sobre o mapa judiciário em Portugal, o tráfico de mulheres para fins de exploração sexual, os tribunais judiciais em Angola e sobre o mandado de detenção europeu. Tem participado em vários grupos de trabalho sobre reformas da justiça e leccionado em programas de formação avançada. Tem várias publicações sobre temas no âmbito da sociologia do direito e da administração da justiça.

Partilhar