Política e Sociedade - Economia e Políticas Económicas

Portugal: Dívida Pública e Défice Democrático

Nº 24 | janeiro 2012

Paulo Trigo Pereira

* 10% desconto incluído. Portes de envio grátis para Portugal Continental e Ilhas.
Sobre
Ver

Sinopse

Como chega um país à quase bancarrota? Porque são pedidos sacrifícios aos cidadãos que parecem não ter fim? Há uma solução duradoura para o problema da dívida pública? O argumento central deste ensaio é o de que os problemas das finanças públicas derivam da fraca qualidade da democracia. Na primeira parte, analisa-se como a situação actual é o resultado de uma cultura e uma prática orçamental laxista de décadas. Na segunda, após um breve diagnóstico dos bloqueios da democracia, são sugeridas algumas alterações do sistema político e administrativo, no sentido de maior liberdade, transparência e responsabilidade política, necessárias ao renascimento da democracia e à sustentabilidade das finanças públicas. Uma edição FFMS e Relógio d'Água. Edição de 2011

Autoria

Coordenação e autoria

  • Paulo Trigo Pereira
    Paulo Trigo Pereira (Lisboa, 1959) é professor no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa, doutorou-se na Universidade de Leicester e foi investigador em várias universidades estrangeiras (Amesterdão/UvA, LSE, NYU e Yale). Trabalha em finanças públicas, economia das instituições e sistemas eleitorais, tendo publicado em revistas científicas e escrito manuais universitários nessas áreas. Foi coordenador do mestrado em Economia e Políticas Públicas do ISEG. Tem tido actividade cívica como membro da direcção da DECO e de outras associações e participado em várias iniciativas da sociedade civil. Escreve regularmente para a imprensa, em particular para o jornal Público, de que é colaborador. Este é o seu quinto livro.

Partilhar