A
A
logo fronteiras xxi

Onde pára a ética na política?

90 min
Ver episódio

Como são hoje vistos pela opinião pública os casos de suspeitas de corrupção política? Até que ponto minam a confiança dos eleitores nos partidos, no governo ou na Assembleia da República? Será que a honestidade de um político é fundamental na ida às urnas?

O novo estudo da Fundação Ética e integridade na política: perceções, controlo, e impacto, baseado em inquéritos a políticos e a cidadãos, revela que há um gap entre a visão dos políticos e dos eleitores: Os políticos avaliam os comportamentos éticos dentro de regras estritamente legais, já os cidadãos tendem a considerar inaceitáveis práticas e condutas que os políticos consideram «normais».

Revela também que há um círculo vicioso no sistema: Quando os princípios éticos são aplicados consistentemente e criam uma ameaça credível de expulsão de quem não cumpre as regras, há um efeito dissuasor para quem chega à vida política. Em sentido contrário, um sistema onde há falta de comportamentos éticos pode tornar-se atrativo para pessoas com baixos padrões éticos.

Ou seja, um sistema que é desvirtuado, tende a perpetuar-se.

Em Portugal, no Parlamento e no Governo há códigos de conduta recentes, mas não há consequência para a violação das regras. Na Assembleia, o cumprimento das regras do código de conduta pelos deputados é regulado pela Comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados, mas este órgão não tem poderes disciplinares.

Já no caso dos governantes, que adotaram um código de conduta no executivo de António Costa, há regras, mas não há uma fiscalização independente. 

De que forma mecanismos eficazes de autorregulação podem fazer a diferença? Um maior escrutínio sobre os candidatos a cargos políticos pode prevenir casos de corrupção? As respostas no próximo Fronteiras XXI.

Como avalia este conteúdo?
A sua opinião é importante.
0
4 votes
Episódios
1
set do estúdio do Fronteiras XXI
O populismo tem ideologia? - Parte 1

O populismo é considerado por muitos a principal ameaça à democracia na Europa. Do Reino Unido à Áustria, de Espanha a Itália, os partidos anti-sistema, que defendem a vontade do...

90 min
Saber mais

O populismo é considerado por muitos a principal ameaça à democracia na Europa. Do Reino Unido à Áustria, de Espanha a Itália, os partidos anti-sistema, que defendem a vontade do...

90 min
Saber mais
2
set do estúdio do Fronteiras XXI
O populismo tem ideologia? - Parte 2

O populismo é considerado por muitos a principal ameaça à democracia na Europa. Do Reino Unido à Áustria, de Espanha a Itália, os partidos anti-sistema, que defendem a vontade do...

54 min
Saber mais

O populismo é considerado por muitos a principal ameaça à democracia na Europa. Do Reino Unido à Áustria, de Espanha a Itália, os partidos anti-sistema, que defendem a vontade do...

54 min
Saber mais
3
T1E2
Como será o trabalho do futuro?

Como será o emprego no futuro? Que profissões vão desaparecer e que novas áreas de trabalho serão necessárias? O Fórum Económico Mundial calcula que, até 2020, as novas tecnologias...

89 min
Saber mais

Como será o emprego no futuro? Que profissões vão desaparecer e que novas áreas de trabalho serão necessárias? O Fórum Económico Mundial calcula que, até 2020, as novas tecnologias...

89 min
Saber mais
4
set do estúdio do Fronteiras XXI
Afinal o que é a dívida?

Portugal é um país altamente endividado e que não cresce. A dívida, sobretudo a do Estado que atingiu 241,1 mil milhões de euros em dezembro passado, tem-se acumulado, ano após ano...

93 min
Saber mais

Portugal é um país altamente endividado e que não cresce. A dívida, sobretudo a do Estado que atingiu 241,1 mil milhões de euros em dezembro passado, tem-se acumulado, ano após ano...

93 min
Saber mais
Fronteiras XXI, um programa de debate semanal da Fundação Francisco Manuel dos Santos, emitido na RTP
Série
Debate
Fronteiras XXI
59EPISÓDIOS
2017

Debater os grandes temas que desafiam Portugal e o mundo, colocando frente a frente conceituados especialistas nacionais e/ou internacionais e uma plateia selecionada. É este o desafio do Fronteiras XXI, o programa mensal da RTP3 que resulta de uma parceria entre a Fundação Francisco Manuel dos Santos e a RTP.

O Fronteiras XXI pretende alargar o debate às plataformas digitais, desafiando o público a participar no programa antes, durante e após o debate. Pode fazê-lo enviando as suas questões aos oradores através do e-mail fronteirasxxi@ffms.pt. As melhores perguntas serão selecionadas para o debate.

Ao longo de 90 minutos, discutem-se temas que marcam a atualidade, mas também outros, menos mediáticos, que afetam o dia a dia dos portugueses para falar do presente a pensar no futuro.
 

Ler menos