A
A
logo fronteiras xxi

Fronteiras XXI: Como travar a violência doméstica?

90 min
16 Nov 2022
Ver episódio

Este ano, já morreram mais mulheres vítimas de violência doméstica do que em todo o ano passado: Até Outubro, morreram 22 mulheres, mais 6 do que em 2021.

As queixas à PSP e GNR também atingiram um novo máximo no terceiro trimestre deste ano, confirmando a violência doméstica – incluindo a violência sobre crianças e idosos – como um dos crimes mais reportados em Portugal.

Também o número de crianças acolhidas em casas abrigo nos primeiros seis meses de 2022 quase duplicou face a todo o ano passado.

Os primeiros estudos sobre os efeitos da pandemia neste fenómeno, mostram que durante o primeiro confinamento, a violência contra mulheres cresceu não só em frequência, mas também em intensidade. E revelam como se potenciou o fenómeno durante este período, alertam os investigadores.

Apesar disso, o país continua a ter um reduzido número de condenações a penas efetivas, face ao número de queixas e de processos nos tribunais. E apenas 11% dos condenados cumprem pena de prisão efetiva, revelam as estatísticas do Ministério da Justiça.

Como tem evoluído o combate à violência doméstica no país? O que continua a falhar? Como prevenir a reincidência de maus tratos físicos e psicológicos? Como garantir um apoio mais eficaz e atempado às vítimas.

Como avalia este conteúdo?
A sua opinião é importante.
0
2 votes
Episódios
1
t1e4
Migrações: problema ou solução?

Numa Europa cada vez mais envelhecida fala-se numa “invasão” de imigrantes, mas apenas 11% da população da União Europeia nasceu noutros continentes. De onde chegam e o que...

90 min
Saber mais

Numa Europa cada vez mais envelhecida fala-se numa “invasão” de imigrantes, mas apenas 11% da população da União Europeia nasceu noutros continentes. De onde chegam e o que...

90 min
Saber mais
2
T1E5
Do campo para as cidades

A cada semana, três milhões de pessoas em todo o mundo mudam-se para as cidades. As estimativas das Nações Unidas mostram a velocidade com que o globo se torna cada vez mais urbano...

90 min
Saber mais

A cada semana, três milhões de pessoas em todo o mundo mudam-se para as cidades. As estimativas das Nações Unidas mostram a velocidade com que o globo se torna cada vez mais urbano...

90 min
Saber mais
3
set do estúdio do Fronteiras XXI
O crescimento da economia está para durar?

A partir de 2001, a economia nacional entrou num beco sem saída e praticamente não cresceu. Após décadas a convergir com a Europa, perdeu terreno e deixou-se ultrapassar pelos...

90 min
Saber mais

A partir de 2001, a economia nacional entrou num beco sem saída e praticamente não cresceu. Após décadas a convergir com a Europa, perdeu terreno e deixou-se ultrapassar pelos...

90 min
Saber mais
4
set do estúdio do Fronteiras XXI
Subir na vida é possível?

O apelido ainda conta para conseguir um bom emprego? Estudar é a principal garantia para uma vida melhor? A diferença entre homens e mulheres que chegam a cargos de topo tem os...

90 min
Saber mais

O apelido ainda conta para conseguir um bom emprego? Estudar é a principal garantia para uma vida melhor? A diferença entre homens e mulheres que chegam a cargos de topo tem os...

90 min
Saber mais
Fronteiras XXI, um programa de debate semanal da Fundação Francisco Manuel dos Santos, emitido na RTP
Série
Debate
Fronteiras XXI
58EPISÓDIOS
2017

Debater os grandes temas que desafiam Portugal e o mundo, colocando frente a frente conceituados especialistas nacionais e/ou internacionais e uma plateia selecionada. É este o desafio do Fronteiras XXI, o programa mensal da RTP3 que resulta de uma parceria entre a Fundação Francisco Manuel dos Santos e a RTP.

O Fronteiras XXI pretende alargar o debate às plataformas digitais, desafiando o público a participar no programa antes, durante e após o debate. Pode fazê-lo enviando as suas questões aos oradores através do e-mail fronteirasxxi@ffms.pt. As melhores perguntas serão selecionadas para o debate.

Ao longo de 90 minutos, discutem-se temas que marcam a atualidade, mas também outros, menos mediáticos, que afetam o dia a dia dos portugueses para falar do presente a pensar no futuro.
 

Ler menos