Educação

Uma Cultura da Informação para o Universo Digital

PUBLICADO EM outubro 2012
* 10% desconto incluído. Portes de envio grátis para Portugal Continental e Ilhas.
Sobre
Ver

Sinopse

O termo literacia é hoje aceite para designar a persistente dificuldade de percentagens significativas da população dominarem as competências de leitura, escrita e cálculo. Diversas medidas institucionais não conseguiram erradicar este fenómeno, origem de preocupantes desigualdades, a que a emergência de novos ambientes digitais veio ainda acrescentar maior complexidade. A informação é agora criada, registada e armazenada em suportes digitais e circula em infra-estruturas e redes globais. Se é certo que tal pode representar enormes oportunidades para o desenvolvimento individual e colectivo, tem contudo gerado novas desigualdades, que se sobrepoem e reconfiguram as anteriores. A noção de “fractura digital” designa então as dificuldades na interacção com as tecnologias e no acesso a recursos de informação, cuja produção é exponencial e de dimensão difícil de abranger e gerir. Responder aos desafios do universo digital, que transformará todas as facetas da nossa vida, exige uma ética e uma cultura da informação para a inclusão social.

Autoria

Coordenação e autoria

  • José Afonso Furtado
    José Afonso Furtado nasceu em Alcobaça em 1953. Licenciado em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Durante largos anos exerceu a sua actividade profissional em organismos governamentais na área da Cultura, tendo exercido entre 1987 e 1991 o cargo de Presidente do Instituto Português do Livro e da Leitura. Foi membro do Conselho Superior de Bibliotecas desde 1998 até à sua extinção em 2007. É membro da Comissão de Honra do Plano Nacional de Leitura. Foi Director da Biblioteca de Arte da Fundação Calouste de Gulbenkian entre Julho de 1992 e Outubro de 2011. Faz parte do Conselho Consultivo do Projecto “Leitura Digital”, promovido pela mesma Fundação. É Docente do “Curso de Pós-Graduação em Edição – Livros e Novos Suportes Digitais” da Universidade Católica Portuguesa. Para além de vários artigos e textos em monografias, publicou O que é o Livro, Difusão Cultural, Lisboa, 1995; Os Livros e as Leituras. Novas Ecologias da Informação, Livros e Leituras, Lisboa, 2000; O papel e o pixel. Do impresso ao digital: continuidades e transformações, Escritório do Livro, Florianópolis (Brasil), 2006 (com posterior edição em Portugal e ainda publicado em Espanha) e A Edição de Livros e a Gestão Estratégica, Booktailors, Lisboa, 2009.

Partilhar