Educação

O valor do ensino experimental

PUBLICADO EM novembro 2011
Sobre
Ver

Sinopse

"A instituição direta deve ser usada sempre que existirem provas de que é eficiente e eficaz no curto e longo prazo. Isto é mais suscetível de ocorrer em situações onde é improvável que o feedback corretivo sobre equívocos e erros seja sistematicamente gerado pelo contexto instrucional." David Klahr, Universidade de Carnegie Mellon "Há também a ideia generalizada que para promover o sucesso de todos os alunos, nomeadamente daqueles que pertencem a grupos sociais desfavorecidos, se deve baixar o nível de complexidade e abstração no ensino. No entanto, resultados de estudos diversos contrariam precisamente esta ideia." Margarida Afonso et al.

Autoria

Coordenação e autoria

  • David Klahr
    David Klahr lecciona Desenvolvimento Cognitivo e Ciências da Educação na Universidade de Carnegie Mellon. É licenciado pelo MIT em Engenharia Electrotécnica e doutorado em Comportamento Social e Organizações pela Universidade de carnegie Mellon. Foi Professor Assistente na Universidade de Chicago, bolseiro de investigação visitante na Universidade de Stirling, Escócia e Professor Visitante da Fullbright na Escola de Negócios de Londres. Tornou-se Professor de Psicologia em 1976. Actualmente é director do Programa de Investigação Interdisciplinar em Educação (PIER) http://www.cmu.edu/pier.  Ao longo da sua carreira, focou-se na análise de processos cognitivos complexos em diversas áreas como a resolução de problemas e o raciocínio científico. O seu trabalho mais recente investiga os processos cognitivos que apoiam a compreensão das crianças dos princípios fundamentais do pensamento científico. Os seus trabalhos incluem tanto investigação básica com crianças em idade pré-escolar como estudos mais aplicados, em contexto de sala de aula sobre como melhorar o ensino experimental da ciência na escolaridade básica. Fez parte de três comités do Conselho Nacional de Investigação: Comité sobre os Fundamentos da Avaliação Educacional (Knowing What Students Know, National Academies Press, 2001 ), Comité sobre Investigação em Educação ( Advancing Scientific Research in Education, National Academies Press, 2004 ) e Comité sobre a Aprendizagem da Ciência ( Taking Science to School: Learning and Teaching Science in Grades K-8, National Academies Press, 2007).
  • Dolores Alveirinho
  • Helena Tomás
  • Preciosa Silva
  • Sílvia Calado
  • Sílvia Ferreira
  • Vanda Alves
  • Margarida Afonso
    Professora na Escola Superior de Educação de Castelo Branco
    Margarida Afonso é Professora na Escola Superior de Educação de Castelo Branco. Fez o Doutoramento na Universidade de Lisboa, na área da Didáctica das Ciências, sobre a formação de professores e a aprendizagem científica nos primeiros anos de escolaridade. Interessa-se por questões relacionadas com a melhoria da literacia científica das crianças a frequentar os primeiros anos do ensino formal e tem desenvolvido projectos de investigação neste domínio.

Partilhar