Educação

Em causa: aprender a aprender

PUBLICADO EM outubro 2011
Sobre
Ver

Sinopse

De facto, quem se inebria com a expressão "aprender a aprender" parte de um erro que se pode separar o conhecimento factual da atitude para o adquirir. Como se podem transmitir atitudes em abstracto sem objectos que as exijam e sobre os quais elas atuam? Carlos Fiolhais, FFMS (in Prefácio) Se é professor, recorde-se que se promover o uso de testes ou exercícios frequentes na sala de aula que impliquem uma recuperação ativa dos conhecimentos e feedback está a desenvolver a aprendizagem dos seus alunos e a possibilidade de a transferirem para outros contextos. Paula Carneiro, Universidade de Lisboa

Autoria

Coordenação e autoria

  • Herbert A. Simon
  • John R. Anderson
  • Paula Carneiro
    Investigadora Auxiliar na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa
    Paula Carneiro é Investigadora Auxiliar na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa. Licenciada em Psicologia pela Universidade de Lisboa, Mestre em Psicologia Experimental pela Universidade de Sussex, Doutorada em Psicologia Experimental pela Universidade do Minho e com pós-doutoramento na Universidade de Salamanca, investiga o domínio da memória e desenvolvimento cognitivo. É autora de vários artigos e comunicações sobre estes temas.
  • Pedro B. Albuquerque
  • Lynne M. Reder

Partilhar