Educação

Fazer contas ajuda a pensar?

PUBLICADO EM novembro 2010
* 10% desconto incluído. Portes de envio grátis para Portugal Continental e Ilhas.
Sobre
Ver

Sinopse

"Neste livro, os exercícios e os problemas rotineiros em matemática, a sua diferença e complementaridade, assim como o seu papel no ensino, são questões discutidas com uma seriedade e rigor pouco comuns. Em vez de repisar velhas formulações e relançar convicções ideológicas, os autores usam a ciência, a experiência e a análise. É um livro para professores, pais, estudantes, futuros professores e todos os que se preocupam com a educação. É um livro que ajuda a pensar." Nuno Crato, FFMS "Parece-nos útil levar a cabo uma observação, despida de preconceitos, da realidade portuguesa, no que diz respeito ao ensino da Matemática, em particular quanto ao recurso a problemas e exercícios. É com estudos sérios e aprofundados que se pode alertar os responsáveis oficiais para a situação em que se encontra o ensino desta disciplina". António Bivar, Carlos Santos e Luís M. Aires

Autoria

Coordenação e autoria

  • Andrei Toom
    Matemático
    Andrei Toom (n. 1942), russo, é matemático e lecciona actualmente na Universidade Federal de Pernambuco, no Recife, no Departamento de Estatística. Mestre (1968) e doutorado (1973) em Matemática pela Universidade Lomonosov de Moscovo (1968), na linhagem de Luzin e Kinchin, leccionou em vários países, nomeadamente no Brasil, nos Estados Unidos da América, em Itália e na Rússia. É conhecido pelo seu trabalho excepcional na área de algoritmos (deve-se-lhe o algoritmo de Toom-Cook), por ser um dos criadores da teoria dos autómatos celulares e por diversas contribuições notáveis na teoria das probabilidades. Uma das suas principais áreas de interesse é a educação matemática e a resolução de problemas. Publicou alguns artigos, como «A Russian Teacher in America», «From Russia with Math», «How I Teach Word Problems», «Word problems: Applications vs. Mental Manipulatives», «Between Childhood and Mathematics: Word Problems in Mathematical Education», sendo igualmente de destacar o manuscrito «Wars in American Mathematical Education».
  • António Bivar
    António Manuel Reis de Bivar Weinholtz nasceu em Lisboa em 1955. É actualmente professor associado da Universidade Lusíada. Concluiu o 3º ciclo do curso dos liceus no Liceu Normal de Pedro Nunes em 1972 com a classificação de 18 valores. Licenciou-se em Matemática na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) em 30 de Setembro de 1977 com a informação final de 19 valores. Obteve o “Diplôme d´Etudes Approfondies de Analyse Numérique” na Universidade Pierre et Marie Curie (Paris VI) em 1978 e o grau de “Docteur de 3ème cycle en Analyse Numérique” pela mesma universidade em 1981, para o que defendeu uma tese intitulada “Formules de produit et demi-somme pour des opérateurs de type Schrödinger avec potentiel singulier complexe”. Em 1982, foi a este grau reconhecida a relevância com efeitos correspondentes em termos nacionais aos do grau português de mestre. Concluiu as provas de doutoramento em Ciências (Análise e Geometria) na Universidade de Lisboa em 1982, tendo defendido uma tese intitulada “Operadores de Schrödinger com potenciais singulares” e tendo sido aprovado com distinção e louvor. A partir de 1975, foi sucessivamente monitor, assistente estagiário, assistente, professor auxiliar e, de 1987 a 2009, professor associado do Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, do qual foi presidente de Outubro de 1993 a Outubro de 1995. Aposentou-se da função pública em 2009. Foi coordenador da área de Matemática para o Ensino do mestrado em Matemática no ano lectivo de 1998/99 e, sucessivamente, dos mestrados em Matemática para o Ensino e em Matemática para Professores de 2002 a 2009, tendo orientado diversas teses de mestrado nesta área. É autor de trabalhos científicos resultantes da actividade de investigação desenvolvida na área da Teoria dos Operadores e de livros de texto nesta área e noutras no âmbito da Análise Matemática, destinados a alunos de licenciatura e de Mestrado.
  • Carlos Santos
  • Luís M. Aires
  • Michel Fayol
    Professor na Universidade Blaise Pascal em Clermont-Ferrand, França
    Michel Fayol é professor na Universidade Blaise Pascal em Clermont-Ferrand, França, na área da Psicologia Cognitiva. Lecciona Psicologia Cognitiva (aprendizagem e memória), Psicologia do Desenvolvimento (desenvolvimento da linguagem, numeracia, desenvolvimento da memória) e Psicolinguística (produção de textos, soletração). É doutor em Psicologia (1976) e em Letras e Ciências Humanas (1981) pela Universidade de Bordéus. Fundou, em 1984, o Laboratório de Estudo das Aprendizagens e do Desenvolvimento. As suas principais áreas de investigação são os processos cognitivos em crianças e adultos, nomeadamente a produção escrita e a compreensão, a aquisição e o uso do número e a aquisição e o uso da soletração.

Partilhar