Educação

O valor de educar, o valor de instruir

PUBLICADO EM outubro 2010
* 10% desconto incluído. Portes de envio grátis para Portugal Continental e Ilhas.
Sobre
Ver

Sinopse

"Os bons professores sabem há muito que o ensino estruturado é importante, que não se pode esquecer a motivação dos alunos nem a pressão para o estudo, que a tabuada e a mecanização das operações são necessárias, que a ortografia não deve ser desleixada e que a compreensão dos bons textos literários é crucial. Os bons professores sabem há muito o que os teóricos da pedagogia romântica querem que eles esqueçam." Nuno Crato, FFMS "Com estas conferências «Questões-chave da Educação», a FFMS pretende contribuir para a reflexão coletiva e a discussão pública sobre todas as questões que direta ou indiretamente envolvem a Educação. Pretendemos fazê-lo no cumprimento de alguns princípios, como sejam o rigor, a independência e a liberdade." António Barreto, FFMS

Autoria

Coordenação e autoria

  • Fernando Savater
    Filósofo e escritor
    Fernando Savater Martín (n. 1947) é filósofo e escritor nascido em San Sebastián, País Basco. É professor na Faculdade de Filosofia da Universidade de Madrid e da Universidade do País Basco, tarefa que conjuga com a sua actividade como conferencista, escritor de artigos no diário El País e director da revista Claves, dedicada aos debates intelectuais e filosóficos. Savater é um autor prolífico e a sua filosofia é ilustrada e vitalista; o seu estilo é polémico e iconoclasta; as suas opiniões são frequentemente à contracorrente. Na filosofia da educação, destaca-se a obra O Valor de Educar (editado em Portugal em 2006 pela Dom Quixote), a par de muitas outras obras, de que é exemplo o livro Ética para Um Jovem. "Não há educação se não há verdade a transmitir, se tudo é mais ou menos verdade, se cada qual tem a sua verdade igualmente respeitável e não se pode decidir racionalmente entre tanta diversidade.”
  • Helena Damião
  • Nuno Crato
    Professor catedrático de Matemática e Estatística no Instituto Superior de Economia e Gestão, Lisboa
    Nuno Crato (n. 1952) é professor catedrático de Matemática e Estatística no Instituto Superior de Economia e Gestão, em Lisboa, pró-reitor para a Cultura Científica da Universidade Técnica de Lisboa, presidente ecoordenador científico do Centro FCT Cemapre e presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) de 2004 a 2010. Em paralelo com o seu trabalho académico, está empenhado na divulgação científica, colaborando regularmente na imprensa, principalmente no semanário Expresso, e em vários programas de rádio e de televisão. Preocupado com o ensino, publicou O Eduquês em Discurso Directo: Uma Crítica da Pedagogia Romântica e Construtivista (Gradiva, 2006), coordenou Desastre no Ensino da Matemática: Como Recuperar o Tempo Perdido (SPM/Gradiva, 2006), organizou a colectânea Ser Professor, de textos de Rómulo de Carvalho (Gradiva, 2006), e coordenou a conferência internacional Gulbenkian de educação de 2008, Matemática e Ensino: Problemas e Soluções.
  • Ricardo Moreno Castillo
    Professor titular de Matemática no Instituto Gregorio Marañón de Madrid
    Ricardo Moreno Castillo (n. 1950) é professor titular de Matemática no Instituto Gregorio Marañón de Madrid, sendo também professor convidado na Faculdade de Matemática da Universidade Complutense de Madrid. Licenciado em Ciências (1973) e Filosofia (1987), é doutorado em Filosofia e Ciências da Educação (1991). Publicou vários livros na área do ensino e da divulgação da matemática e deve-se-lhe a tradução para castelhano doLivro de Álgebra de al-Juarizmi. Na área da Educação, destaca-se a obra Panfleto Antipedagógico (2006),que publicou inicialmente na Internet, onde obteve uma difusão rápida e múltiplos apoios. Neste panfleto, depois ampliado e publicado em livro, denunciou a situação grave do ensino em Espanha, decorrente da LOGSE, uma lei, na sua opinião, contrária aos princípios elementares da educação. Deve-se-lhe ainda a obra De la Buena y la Mala Educación (2008).

Partilhar