Em que pé está a igualdade?
Questões Sociais

Em que pé está a igualdade?

30 setembro 2017
Ainda não tem bilhete?
Comprar bilhete
Já tem bilhete?
Em que pé está a igualdade?

2017

30 setembro
09h00 - 20h00
Teatro Nacional de São Carlos
Ver mapa

Em que pé está a igualdade?

Impactos, Desafios e Conflitos

Foram necessários séculos de lutas, conflitos sociais e revoluções para que todas as pessoas se tornassem iguais perante a lei. Ainda assim, muito está por fazer: no ocidente, os rendimentos e a riqueza continuam a ser distribuídos de forma desigual e teme-se pela estabilidade das sociedades. A desigualdade está hoje no centro do debate político e económico. A globalização e as tecnologias estão a mudar a natureza das desigualdades, criando uma sociedade com «ganhadores» e «perdedores», uns mais e os outros menos adaptados às rápidas mudanças. O populismo cresce neste ambiente de transformação económica que diminui a mobilidade social e tem enfraquecido a esperança de muitos num futuro melhor. As desigualdades do século XXI geram inquietação e põem em causa a ambição de se viver numa sociedade mais justa, uma aspiração que foi motor das democracias no século XX.

A globalização tornou o mundo mais igual ou mais desigual? Que mudanças tem o Estado de fazer para responder às novas formas de desigualdade? A educação continua a ser a grande esperança para uma sociedade mais justa?

Para reflectir sobre estas e outras questões, a Fundação convidou grandes nomes da filosofia política contemporânea, tais como Pierre Rosanvallon e Philippe Van Parijs; economistas de renome, nacionais e internacionais, tais como Branko Milanovic, Richard Baldwin e Ana Rute Cardoso; historiadores, dos quais se destaca Gregory Clark; e reputados nomes das artes e literatura, tais como Gonçalo M. Tavares, Os Espacialistas e Richard Zimler. Responsável pela apresentação de todo o Encontro estará José Alberto Carvalho.

Por fim, e porque as sociedades mais justas se constroem também com exemplos individuais, a Fundação convidou ainda Ruby Bridges, a primeira criança afro-americana a frequentar uma escola de brancos no Sul dos Estados Unidos da América, que se tornou um ícone dos direitos civis americanos.

Conheça em baixo o programa completo. Junte-se a nós e seja bem-vindo ao debate!

(Linha de apoio: 916 671 215 | encontro@ffms.pt )

Programa

  • 09h00
    Acreditação
  • 10h00
    Salão Nobre
    Boas-vindas
  • 10h25
    Salão Nobre
    Igualdades
    Conferência de Abertura
  • 11h10
    Pausa para café
  • 11h40
    Salão Nobre
    Globalização e Tecnologia
    Quais são as consequências da globalização e da revolução tecnológica para o emprego?
  • 13h00
    Cervejaria Trindade
    Almoço
  • 14h30
    Dez Igualdades
    Vídeo de Gonçalo M. Tavares
  • 14h45
    Salão Nobre
    Identidade e igualdade
    Em que medida a afirmação da identidade pode pôr em risco a igualdade nas sociedades multiculturais?
  • 16h05
    Salão Nobre
    A persistência das desigualdades
    Que políticas sociais são necessárias para que as desigualdades não sejam uma inevitabilidade?
  • 17h25
    Pausa para café
  • 17h50
    Salão Nobre
    Conferência de Encerramento
    Fez-se história em 1960, quando, aos 6 anos, Ruby Bridges se tornou na primeira criança afro-americana a inscrever-se na William Frantz Elementary – uma escola que era, até então, frequentada apenas por brancos. A imagem de Ruby, a entrar na escola, ladeada por quatro policias federais foi eternizada por Norman Rockwell, no quadro "The Problem We All Live With". Transformou-se num dos maiores símbolos de luta pelos direitos civis e pela educação integrada e igual para todas as crianças.
  • 18h35
    Salão Nobre
    Encerramento
  • 19h00
    Salão Nobre
    Governo Sombra em directo
    Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares com moderação de Carlos Vaz Marques
  • 20h00
    Largo de São Carlos
    Festa de Encerramento
Ver

Partilhar